Salmo 63 – como te vi no santuário

O salmista queria ver novamente a fortaleza e a glória do Senhor que tinha visto no santuário.

No santuário, tudo aponta para as riquezas maravilhosas do amor e do poder de Deus, que excede a razão e não depende da lógica humana. Ali Deus se revelara a Davi e até hoje se revela aos que O buscam de todo seu coração.

Nosso desafio – era o de Davi também – ver tudo aquilo sobre o poder e o amor de Deus fora do santuário. No seu dia a dia, na prática cotidiana, nas coisas comuns, nos problemas desta vida, seu pedido era que pudesse ver fortaleza e glória “como tinha visto no santuário”.

Podemos – e precisamos – pedir a mesma coisa ao nosso Deus. Assim nossa “religiao” não ficará restrita ao ambiente da igreja, mas se estenderá e abrangerá toda a nossa existência. Davi precisava que Deus – acerca do qual ele aprendeu com seus pais e nas suas visitas à tenda onde estava a arca do concerto – se manifestasse ali, na guerra contra os filisteus e seu campeão, Golias.

De nada serviria, na prática, um Deus de longe, de dentro de tendas ou templos, se ali – onde Davi mais precisava – ele não pudesse contar com Ele.

Se sua vida espiritual, caro leitor, está restrita a um local de culto, ore como Davi: quero ver tua fortaleza e tua glória, como te vi no santuário.

Buscai ao Senhor enquanto se pode achar

…invocai-O enquanto está perto. Isaías 55:6,7.

Este solene conselho tem sido muito utilizado para nos lembrar que nossa oportunidade de ter contato com Deus tem dias contados, essa é a ideia que vem da dobrada utilização da palavra “enquanto”.

Todavia poderíamos, talvez, observar as sutis diferenças entre a primeira e a segunda sentenças do versículo, assim:

BUSCAI – usamos o verbo buscar para nos referir ao que está longe de nós, em lugar sabido ou não. Está fora do alcance imediato, mas podemos procurar e alcançar desde que saiamos da posição ou situação atual.

Deste modo podemos associar a primeira sentença com a primeira experiência, aquela que nos fez deixar nosso comodismo, nosso mundanismo, nossos hábitos e conceitos pecaminosos para irmos encontrar com o Salvador, o qual ainda hoje pode ser achado.

INVOCAI – somos aconselhados a clamar ao que está perto de nós, mas que pode – e precisa – estar ainda mais perto. Talvez já fazendo parte de nossa vida, como se estivesse em algum canto da casa, ao alcance da voz, misturado à nossa paisagem cotidiana, relegado a uma prioridade menor do que a máxima.

Em Apocalipse 3:20 lemos que o Senhor Jesus está à porta, isto é, facilmente acessível a qualquer um de nós. Ó, não aconteça que, por comodismo, mantenhamos o Senhor Jesus assim, tão perto de nós, mas ainda fora do nosso coração onde Ele quer fazer morada!

Se ao olhar em volta de você ainda não pode distinguir a presença do Senhor, vá buscá-Lo. Se Ele já está perto de você, não se detenha, clame por Ele para que o Senhor não fale de você o que disse do escriba em Marcos 12:34 – “não estás longe do Reino de Deus”.

Não estava longe, mas ainda não estava dentro…