Qual dentre vós será o homem?

Em certa ocasião, Jesus estava em uma sinagoga e viu ali um rapaz que tinha uma de suas mãos mirrada. Ele o chamou para o meio e disse aos demais que ali estavam:

O dia de sábado, dentro da cultura religiosa de Israel, era dedicado ao descanso. Mas o Senhor mostrava que um homem responsável, que tem compromisso com as ovelhas que lhe foram confiadas, não pode descansar enquanto houver uma delas presa, limitada de alguma maneira, ou ainda correndo risco de morrer. Ainda que todos os demais estejam fazendo isso.

Ainda que seja “tempo de descanso” para muitos, para a Igreja Fiel é tempo de resgatar os que estão presos em covas. Em certas situações, a cova será tão funda que será necessário descer a ela para ajudar a suspender a pobre e desesperançada ovelha.

Para entender isso temos o melhor dos exemplos. O Senhor Jesus, quando todos estavam impedidos de lutar pela humanidade, quando não havia quem socorresse a ovelha, desceu até à cova dela – literalmente – e de lá nos tirou, a todos os que creem em Seu nome e em Sua obra redentora.

Por isso hoje repetimos aqui a pergunta do Senhor Jesus: “Qual dentre vós será o homem”? “Quem há”, pergunta o Todo-Poderoso, “de ir por nós?” (Isaías 6:8).

A Igreja Fiel, cheia do Espírito Santo, pergunta também assim: qual será esse homem? Que trabalha enquanto os demais descansam. Que se preocupa enquanto os demais festejam. Que desce ao nível do problema das ovelhas para entendê-las melhor, para enxergar do ponto de vista delas?

Depois de dizer isso, Jesus curou o homem, que agora tem ambas as mãos aptas para o trabalho. O Senhor o destacou dentre os demais para que agora aquele homem, uma ovelha restaurada, pudesse fazer o mesmo, ir em socorro das demais que ainda estão presas e precisam de ajuda para escapar.

Como diz o antigo louvor cristão: “Podes tu também dizer: sou um dos tais?”.