Você já está velho demais, Samuel

Um dos piores momentos da história da humanidade, segundo a Bíblia, foi a queda do homem, a transgressão a um único mandamento, narrada no início do livro de Gênesis. Fica muito claro na leitura do texto bíblico que o pecado em questão foi a desobediência. Por ela fomos, na pessoa de nossos primeiros pais, expulsos do jardim de Deus e do acesso à Árvore da Vida, no meio dele.

O caminho de volta foi fechado por uma espada flamejante que, para nós hoje, representa a Palavra de Deus inflamada pelo Espírito Santo. Não há como pensar em viver para sempre sem ser “mortalmente” atingido pela Escritura Sagrada, que nos faz morrer para o pecado.

Mas como o caminho escolhido por Adão e Eva foi o da desobediência, o caminho inverso, isto é, que nos levará de volta à presença do Senhor é o da obediência. Obedecer ao Espírito Santo, ser guiado por Ele, direta e indiretamente, é a proposta do Evangelho. Paulo afirma que os que são guiados pelo Espírito de Deus esses são os filhos de Deus. Quando digo diretamente estou me referindo ao nosso trato individual com o Senhor, a obediência à Sua Palavra e à Sua influência cotidiana para nos livrar de pecar. Quando digo indiretamente estou me referindo àqueles que pelo mesmo Espírito foram colocados diante de nós para nos ensinar e conduzir, como instrumentos nas mãos d’Ele: Pastores e demais responsáveis apontados pelo Senhor no meio da Igreja:

E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo,

                                                                                                                          Efésios 4:11-13

Por isso é que continuo acreditando que nosso maior desafio gira em torno da submissão direta e indireta ao Senhor. Estamos sendo provados nisso atualmente, como o povo de Israel nos dias de Samuel. Lemos em 1 Samuel 8:5 que os israelitas disseram: “estás velho”, queriam um rei sobre si que fosse segundo os padrões humanos vigentes. É como se dissessem: Queremos um pouco mais de “razão”, tem “revelação” demais. Mas sabemos pelas Escrituras que o próprio Deus – que mantinha Samuel naquela função tão desgastante – se sentiu pessoalmente ofendido pela atitude do povo.

Há alguns dias, pregando aos jovens, mostrei a eles o que a Palavra do Senhor fala sobre as janelas dos nossos palácios, por onde a morte entra (Jeremias 9:21). Lembrei que certa vez Mical, esposa de Davi, o viu – pelas janelas do palácio – enquanto este tomava uma atitude genuína, que ela, porém, não soube interpretar e falou de modo desdenhoso a seu respeito. Às vezes olhamos para servos de Deus (inclusive os que estão em uma posição de governo) e não entendemos suas atitudes que podem, sim, estar sendo conduzidas pelo Espírito Santo, apesar disso não ficar claro pra nós. Se falamos sobre isso de modo desdenhoso, isso pode ser extremamente ofensivo aos olhos do Senhor. Mical se tornou infrutífera, estéril a partir dali. Que possamos temer o Senhor e ser prudentes, aguardando e dependendo inteiramente de Sua bondade e justiça.

Os estudiosos divergem um pouco quanto à idade de Samuel ao falecer. Alguns afirmam que ele tinha “apenas” 60 anos enquanto outros afirmam que teria chegado a viver mais de 80. O argumento que usei como título desta postagem, por si só não se sustenta, uma vez que Moisés viveu com plena saúde e lucidez, governando o povo até aos 120 anos. Dizer que Samuel estava velho fisicamente era apenas uma tentativa de dissimular a velhice espiritual do próprio povo israelita.