A mulher que tu me deste

O primeiro cafajeste (sim, depois dele vieram hordas inumeráveis) não pensou duas vezes antes de tentar desviar de si qualquer responsabilidade pela tragédia da queda causada pelo seu pecado.  Tragédia que agora o cercava e cercaria também, por herança, toda a sua extensa descendência – eu, você e todos os outros. Diante d’Aquele que é o mais justo dos juízes, cuja onisciência é testemunho suficiente, declarou, arrogante, que  a mulher que Ele, o Senhor lhe dera, era a culpada, esquecendo-se que Eva estava sob sua direta tutoria e inteira responsabilidade, afinal ele era o cabeça.

Tentando passar de acusado a acusador se vê no direito – já que “todo mundo errou, menos ele” – de dar o veredito no julgamento em que ele próprio era réu, veja bem como o ser humano caído é contraditório e capaz de absurdos desde o princípio! Um julgamento que se instaurou com a chegada do Dono de tudo, à vista de quem ele mesmo, Adão, se escondera, talvez por “mera precaução”…

Assim, amigos, desde os primórdios da nossa história os seres humanos enxergam nos supostos – e mesmo nos efetivos – erros dos outros os argumentos suficientes para sacudir de sobre si o governo do Todo-Poderoso. Decide assumir o timão de sua própria embarcação, cuja deriva certa a partir de então vai deixar claro que essa é a mais louca das aventuras. Não é a vida que é louca. É o homem egoísta e soberbo, dono de seu próprio nariz, o louco ao volante.

Mas antes de me despedir de vocês, gostaria de comparar a cretinice do primeiro Adão com a nobreza do segundo, o Senhor Jesus:

  • Adão tinha tudo para não pecar naquele jardim – e pecou. Jesus tinha tudo pra pecar naquele deserto – e não pecou. Ele assumiu o pecado da sua Igreja, fez o que nosso primeiro pai não fez.
  • Adão deixa sua mulher entregue às dores, Jesus tomou sobre si as nossas dores.
  • “É ela, deixe-me ir” disse o egoísta Adão em outras palavras, buscando escapar do castigo. “Sou eu, deixai ir estes”, disse o altruísta Salvador acerca de Seus discípulos ao entregar-se ao abominável castigo pelos nossos pecados.
  • Adão teria que suar pra conseguir o pão para si e seus filhos. E Jesus? Ah, Ele suou sangue e se tornou para Seus filhos o verdadeiro pão!* 

Jesus há de apresentar ao Pai Celestial a Sua noiva, a Igreja Fiel, gloriosa, sem mancha, inculpável e dirá: Esta é a esposa que Tu me deste!

E veio a mim um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das últimas sete pragas, e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a esposa, a mulher do Cordeiro.

Apocalipse 21:9

*(obrigado, amigo Godoy!)

5 comentários sobre “A mulher que tu me deste

  1. O Espirito nestes dias tem gritado e falado em alta voz que sem reconhecer o erro, o peso da culpa não existe confissão.
    Adão não confessou o pecado.
    O grande erro do homem é não confessar, mas transferir…
    Todo mundo é culpado, até Deus pois, dizem: – Deus me fez assim…
    Mas quando o homem confessa Jesus, aquele que se entregou por nós, a sua culpa é coberta pelo Poder do Sangue deste maravilhoso perdoador.
    O segredo pra nao ser punido eternamente nao é culpar os outros, mas confessar nossas culpas e deixar que Cristo as tome sobre si.

    Curtir

    • Deus sabia o que Adão havia feito, mesmo assim queria ouvir sua confissão, seu arrependimento sincero. Mas a todos quantos o receberam… Obrigado pela participação, meu fiel amigo, conto com sua ajuda.

      Curtir

E você, o que poderia acrescentar sobre este assunto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s