Enoque e o Arrebatamento

Em Gênesis 5:1-32, encontramos as gerações de Adão até Noé.

Ali verificamos que a Palavra cita o nome de Adão e seus descendentes, e diz:
1) E foram os dias de Adão, depois que gerou a Sete, oitocentos anos… e morreu (Gen. 5:4,5).

Mas quando vai registrar a história de Enoque (Gen. 5:21-24) lemos:
– Enoque viveu sessenta e cinco anos, e gerou Matusalém…
– Ele viveu como os demais homens até gerar Matusalém.
A partir daí, ele começa a andar com Deus e sua vida muda completamente.

– Andou Enoque com Deus, depois que gerou Matusalém, trezentos anos.
Então gerou o homem que mais viveu na terra, Matusalém (969 anos).
Para nós hoje, praticamente uma eternidade, quase MIL ANOS!!

2) Adão e seus descendentes tem em seus registros as palavras:
– E morreu … e morreu …
– Para Enoque, a Palavra diz:
E não se viu/não apareceu mais, porquanto Deus o TOMOU para si…
Não morreu…

A Bíblia assim nos ensina que andar com Deus é um caminhar, uma atitude dinâmica.
Não ficar parado, seguir adiante. A Igreja tem um rumo, ela está indo ao encontro com o Senhor Jesus.
A Igreja saiu de um lugar qualquer (o mundo) e “anda/caminha” para outro lugar (a eternidade).

– Andar com Deus é; comunhão e obediência:
É Ele que conhece o Caminho e como caminhar, não eu. Diferente do homem natural que NÃO VIVE, NÃO ANDA (com Deus), por isso, morre …

Associando a nossa história à história de Enoque, aprendemos que andar com Deus é:
Deixar o Senhor gerar a eternidade em nós (assim como Enoque gerou a Matusalém) e ser tomado pelo Senhor no arrebatamento e vencer a morte antes que ela nos alcance! Que esperança maravilhosa!
Mas para isso, temos que continuar caminhando, hoje, amanhã e até que o Senhor venha, pois não será aqui o nosso descanso…

– A maior recompensa em andar com Deus:

Como Igreja, seremos ARREBATADOS antes da Grande Tribulação (que trará juízo de Deus sobre a Terra, como o grande dilúvio no passado). Assim como foi com Enoque que foi TIRADO antes do Dilúvio, que livramento será…

Não fique parado, comece já a andar com Deus.

O mais maravilhoso disso não é o homem decidir andar com Deus, mas é Deus decidir andar com o homem.

(Acréscimos sobre texto enviado pelo amigo professor João Luiz Lani, de Viçosa/MG)