Salomão, Marta, eu e você

Salomão foi um homem a quem sucedeu o que a maioria de nós poderia desejar. Fortuna, sabedoria, sossego, fama, aventuras.

Marta foi uma mulher a quem sucedeu o que a maioria de nós poderia recusar. Trabalho, ansiedade, fadiga, enfermidades na família, morte.

Mas foi no tempo de Marta que o Senhor disse uma palavra misteriosa e maravilhosa:

Bem-aventurados os olhos que vêem o que vós vedes. Pois vos digo que muitos profetas e reis desejaram ver o que vós vedes, e não o viram; e ouvir o que ouvis, e não o ouviram.
Lucas 10:22-24

Quando Salomão, no auge de sua vida espiritual, construiu um templo e o dedicou a Deus, sabia que sua construção não poderia receber o Senhor, afinal, “nem os céus dos céus O poderiam conter”. Contentou-se em convidar o Senhor para atentar para as orações que ali fossem feitas.

Mas Marta… Marta conseguiu fazer Deus entrar pessoalmente em sua casa. Mais de uma vez.

Não que Marta fosse maior que Salomão. Deus é que se “apequenou” na pessoa de Seu humilde Filho.

Você e eu não somos maiores que Marta, muito menos do que Salomão. Porém hoje podemos trazer o Senhor para um lugar ainda menor: o nosso coração. E basta um convite sincero. Você já o fez?

Naquele tempo, respondendo Jesus, disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos.
Mateus 11:25