Despenseiros: Guardadores dos segredos

Ao escrever aos coríntios, Paulo diz que os homens devem nos considerar despenseiros dos mistérios de Deus (I Coríntios 4:1 – clique para ler em outra página do navegador). Despenseiro é o responsável pela despensa, pelo depósito de mantimentos. Jesus usa figura semelhante quando fala do servo bom e fiel:

E disse o Senhor: Qual é, pois, o mordomo fiel e prudente, a quem o senhor pôs sobre os seus servos, para lhes dar a tempo a ração? 

Lucas 12:42

Repartir com fidelidade e responsabilidade o que nos foi confiado é certamente algo que agrada muito a Deus. Os que assim o fazem alcançam grande confiança e o Senhor já não lhes chama de servos, mas de amigos. Os amigos sabem o que faz o seu Senhor.

Os serventes das bodas de Caná sabiam o segredo do vinho. Os despenseiros do tempo de Daniel sabiam o segredo dos legumes e da água. Os discípulos de Jesus sabiam o segredo do pão e do peixe que distribuíam.

E você, despenseiro, conhece os mistérios de Deus? E as pessoas ao seu redor, sabem que você tem as chaves da despensa celestial e podem recorrer a você para conhecer e receber o que vem de Deus? Pense nisso.

Ao vencedor, o fruto da árvore da vida

arvore da vidaA Bíblia é anterior à visão politicamente correta e sobreviverá a ela também, por toda a Eternidade. Essa visão “modernista” critica toda disputa acreditando que os incompetentes também merecem o prêmio e que instigar a competição provocará frustrações e angústias, etc. e tal… Os efeitos nefastos dessa mentalidade já podem ser percebidos nos resultados da educação brasileira, cujos professores tem como palavra de ordem “não reprovar”.

Mas como ia dizendo, a Bíblia não segue essa linha, apesar de mostrar a misericórdia de Deus para com todos que se achegam a Ele, afinal “somos mais do que vencedores por aquele que nos amou (Cristo)”. Assim, a Palavra de Deus é um incentivo para o homem lutar, combater o bom combate, nas palavras do apóstolo Paulo.

Em Apocalipse 2:7, falando à igreja de Éfeso, Jesus diz que ao vencedor está reservada uma porção muito especial: o fruto da árvore da vida. Essa árvore é tão real quanto uma goiabeira ou jaboticabeira. Porém Deus a escondeu, temporariamente, para que o homem não perpetuasse sua condição de caído, de perdedor.

Sim, o homem natural é um perdedor. Ainda que se destaque profissionalmente ou em suas capacidades artísticas ou ainda se torne muito rico e famoso. Ele perde a maior batalha, a mais importante. A batalha diária contra a sua carne – usando a expressão bíblica. Sua inclinação natural é para o pecado, para a rebeldia contra Deus e Seu projeto. Mas a inclinação do espírito, renascido pela operação vivificadora do Espírito de Deus, é vida e paz, com Deus e com o próximo.

Deste modo entendemos que Deus não abrirá novamente o acesso à árvore da vida ao homem perdedor, para que ele não se torne eternamente perdedor, fará isso aos vencedores, aos que subjugarem sua natureza carnal, reduzindo-a à servidão de Cristo, o cabeça de todas as coisas. Esses vitoriosos, sim, descobrirão o sabor dessa fruta maravilhosa e desfrutarão dela para sempre.

Diante disso, pergunto: é você um vencedor? Então, bom apetite…

 

Salomão, Marta, eu e você

Salomão foi um homem a quem sucedeu o que a maioria de nós poderia desejar. Fortuna, sabedoria, sossego, fama, aventuras.

Marta foi uma mulher a quem sucedeu o que a maioria de nós poderia recusar. Trabalho, ansiedade, fadiga, enfermidades na família, morte.

Mas foi no tempo de Marta que o Senhor disse uma palavra misteriosa e maravilhosa:

Bem-aventurados os olhos que vêem o que vós vedes. Pois vos digo que muitos profetas e reis desejaram ver o que vós vedes, e não o viram; e ouvir o que ouvis, e não o ouviram.
Lucas 10:22-24

Quando Salomão, no auge de sua vida espiritual, construiu um templo e o dedicou a Deus, sabia que sua construção não poderia receber o Senhor, afinal, “nem os céus dos céus O poderiam conter”. Contentou-se em convidar o Senhor para atentar para as orações que ali fossem feitas.

Mas Marta… Marta conseguiu fazer Deus entrar pessoalmente em sua casa. Mais de uma vez.

Não que Marta fosse maior que Salomão. Deus é que se “apequenou” na pessoa de Seu humilde Filho.

Você e eu não somos maiores que Marta, muito menos do que Salomão. Porém hoje podemos trazer o Senhor para um lugar ainda menor: o nosso coração. E basta um convite sincero. Você já o fez?

Naquele tempo, respondendo Jesus, disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos.
Mateus 11:25