A Apresentação de Paulo

No início da carta que escreveu aos Romanos, Paulo diz assim:

Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para apóstolo, separado para o evangelho de Deus.
Romanos 1:1

Portanto é como se ele apresentasse três pontos de vista a seu próprio respeito:

  • Com relação a Cristo ele era seu servo
  • Com relação à Igreja ele era apóstolo
  • Com relação  ao mundo ele havia sido separado (para outro ambiente, que ele chama de evangelho)

Quero me ater em especial neste último ponto – separado para o evangelho.

A palavra IGREJA (do grego εκκλησία [ekklesía] através do latim ecclesia) é uma palavra de origem grega escolhida pelos autores da Septuaginta (a tradução grega da Bíblia Hebraica) para traduzir o termo hebraico q(e)hal Yahveh, usado entre os judeus para designar a assembleia geral do “povo do deserto”, reunida ao apelo de Moisés. Etimologicamente, a palavra grega ekklesia é composta de dois radicais gregos: ek, que significa para fora, e klesia, que significa chamados (Definição dada pela Wikipedia).

Assim poderíamos resumir dizendo que a definição de igreja é “chamados para fora”.

Fomos chamados. Não arrastados. Não obrigados. Não conduzidos coercitivamente. Chamados. Ao atender voluntariamente a este chamado, aceitamos essa condição embutida nela: a SEPARAÇÃO (do mundo e de seus valores).

Paulo parecia não ter qualquer dificuldade de encarar as coisas deste modo, como muitos cristãos hoje tem. Muitos parecem sofrer tanto com a rejeição do mundo ao ponto de deixarem de se alegrar no fato de que fomos aceitos pelo Senhor. Já pensou nisso?

ACEITOS!

Não hesite em se separar do mundo e não se entristeça se o mundo rejeitar você. Achegue-se ao Senhor. Encerro este texto com o conselho de outro apóstolo:

Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações. Tiago4:8

Não é nada do que você está pensando…

elijah-ravens_smallAo ver uma revoada de corvos, algum contemporâneo de Elias que estivesse perto do ribeiro de Querite poderia pensar que havia algum morto por lá. E que os corvos estivessem tirando alimento de seu corpo inerte para si. Mas não era nada disso, os corvos estavam levando – não tirando – alimento para um vivo. Um vivo que estava escondido por Deus naquele lugar.

Você pode estar também, em obediência ao Senhor, no lugar onde Ele ordenou que você estivesse. Talvez alguém próximo esteja pensando que suas lutas – assim como os corvos no tempo do profeta – estejam tirando alguma coisa de você. Mas, ao contrário, suas lutas estão trazendo alimento e sustento pra você. Você vai sair dessa situação mais forte. Creia. O nosso Deus até mesmo inverte a ordem natural das coisas, se assim Ele desejar, para cuidar de nós.

Os tempos de refrigério

Placas de Transito do Brasil

Em Atos 3:19 lemos:

“Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor”

Segundo o apóstolo Pedro, que pregava a muitos dos que presenciaram, anteriormente, a crucificação do Salvador, duas medidas deviam ser tomadas por todos os ouvintes:

1 – O arrependimento
Segundo a definição do dicionário de Aurélio, arrepender é “Lamentar ou ter pena por alguma coisa feita ou dita ou não feita ou não dita”. Alguém certa vez definiu que se arrepender é se sentir como se, estando outra vez na mesma situação, não tornasse a fazer (ou a deixar de fazer) o que fez.

2 – A conversão
Converter é fazer uma mudança de direção. No nosso caso, é deixar de ir na direção da perdição, a Eternidade sem Deus, e caminhar rumo à Eternidade com Deus.

Pedro afirma que essas duas condições são necessárias para que venham “os tempos de refrigério pela presença do Senhor”. É a presença do Senhor que traz o refrigério.

Muito bem, mas como conciliar isso com a afirmação de Jesus de que teríamos neste mundo aflições?
É bem simples. Não somos aflitos o tempo todo. Nem temos refrigério em todo o tempo. Cada aflição cumpre seu propósito (afinal, até elas colaboram para o bem dos que amam a Deus). E é seguida por um tempo de refrigério.

Tudo isso vai se suceder até que, conforme Pedro diz, no verso 21, cheguem os tempos da restauração de tudo. Maranata!