Na Contramão

“E por diminuir a iniquidade o amor de uns poucos aquecerá”. Acredito que esse seria o reverso da fala profética do Senhor em Mateus 24:12.

Podemos ler isso como uma descrição sucinta do projeto de Salvação, que à medida que nos afasta do pecado, nos aproxima de Deus. Jesus faz a descrição da situação dos muitos, aqueles que andam pelo espaçoso caminho e entram pela larga porta que conduz à perdição.

Mas como diz o autor da carta aos Hebreus, no capítulo 6:9, de nós o Espírito Santo espera coisas melhores, coisas que acompanham a salvação. O diminuir da iniquidade é uma delas. Li isto certa vez:

Ou a Bíblia nos afasta do pecado ou o pecado nos afasta da Bíblia.

A proximidade, o contato com a Palavra enfraquece nossa natureza carnal, para levá-la à morte. Mas ao mesmo tempo, como podemos extrair do texto, a diminuição da iniquidade terá como “efeito colateral” o aumento do amor, o aumento da influência de Deus na nossa vida.

Isso é o que acontece no coração dos servos do Senhor. Estamos na contramão do mundo. Este vai de mal a pior. Nós, a Igreja, estamos indo de bem a melhor.

Usemos isso como régua, para medir a nós mesmos: Se a iniquidade está diminuindo, o amor estará aumentando e nisso estará a prova de que estamos sendo trabalhados por Deus, para fazer de nós o que Ele quer que sejamos.