O Maior e o Menor

Os últimos livros do Velho Testamento são chamados de “Profetas Menores”. Mas justamente depois dos registros deles vem, em Mateus, o registro da vida de João Batista, a quem nos referimos como “último profeta da lei”.

Jesus, porém, diz dele que não apareceu outro maior (fora do reino dos céus – seria antes do evangelho da Graça?) . Mas, prossegue o Mestre, o menor no (dentro do) reino dos céus é maior do que ele.

Há muito mistério nas afirmações de Jesus sobre o Reino, só saberemos todos os detalhes na eternidade. Mas, o que fazia de João diferente de todos os outros profetas, todos menores do que ele, que nem mesmo um pequeno livro escreveu?

Entre outras coisas, poderíamos chamar a atenção aqui para o fato de ter sido ele – e só ele, dentre todos os demais profetas – a presenciar o cumprimento da maior profecia do VT: a vinda do Messias. Ele anuncia E APRESENTA o cumprimento da profecia. Que privilégio, não?

Mas e quanto a nós? Nós, os menores no reino dos céus, somos portadores de profecia maior ainda: ELE VOLTARÁ E REINARÁ PARA SEMPRE! VIVA O REI!

Se podemos repetir aqui o conceito de maior usado por Paulo na carta aos Coríntios, maior é mais útil. Se a palavra de João Batista fez tremer o vale do Jordão, a nossa deve fazer tremer o mundo inteiro: MARANATA!