A aflição que nos rodeia

Em Lucas 8:40 conhecemos Jairo e a situação que vivia.

Sua filha, única, estava gravemente doente. Todos estavam muito preocupados com ela. O ambiente era pesado e triste. Parecia não haver esperança para aquela casa.

Jairo sai em busca de uma solução e, depois de tentar todos os recursos humanos disponíveis, procura o Senhor Jesus.

Ao encontrá-Lo, Jairo o convida para ir à sua casa e Jesus aceita imediatamente. Por certo a caminhada daquele homem aflito passou por uma grande mudança. Ele podia até mesmo cantar: Já não estou sozinho! Se estava até ali rodeado de aflições, Jairo passou a andar junto de Jesus e de uma multidão dos seguidores d’Ele, que cantavam e comentavam, entusiasmados, tudo o que viam o Salvador operar.

Ainda não haviam chegado à sua casa e Jairo presencia a cura da mulher hemorrágica. Isso, por certo, só fez crescer no coração dele a certeza de que a solução que esperava também chegaria. Seu problema persistia, mas o coração de Jairo estava confiante: Tenho o Salvador comigo!

O ambiente era de alegria e paz, diferente do ambiente que havia deixado, pesado e de morte.

Assim vivemos também, muitas vezes, na Igreja: Temos nossas aflições e amarguras, mas agora o Salvador está conosco! Ainda que o meu problema não esteja solucionado, ao ver o Senhor operar na vida dos irmãos, tomo ânimo e me fortaleço.

No caminho, Jairo recebe a notícia da morte da menina, dada pelos amigos – que vinham daquele mesmo ambiente de dor e aflição. Porém Jesus recomenda a Jairo que não temesse, mas cresse n’Ele.

Pode acontecer, igualmente, de chegar a nós uma má notícia, ou palavra de desânimo, trazida pelos que não vivem a mesma experiência que nós. Porém Ele nos dirá também:

Não temas, crê somente.

"...e ela logo se levantou."